terça-feira, 29 de outubro de 2013

POESIA - PÊNDULO


Tua vontade pendulante
                                     perdura
e confunde o teu desejo
em momentos de nunca estar.

Aprisionado em teu vai-e-vem,
                                o que futuras no sonho,
já é passado,
no momento que o tens.

O instante do estar,
                               é o mesmo do partir.
O instante do alcançar,
                               é o mesmo do perder.

Tua vontade pendulante
                              é teu traçado de solidão,
tua rota de não ser,
                              teu trilho.

E vais
              E vens
E vais
              E vens
E vais
              E vens

Até que o mecanismo da vida
em ti,

              Pare!

E deixe-te ao meio:

sem antes,
                           nem depois;
sem certezas,
                           nem talvez;
sem dia,
                           sem noite,
sem vontades,
                           sem ninguém.

Pero Vás

Plugin Artigos Relacionados para WordPress, Blogger, ...