segunda-feira, 12 de setembro de 2011

A DESTRUIÇÃO DA ZONA SUL DE PORTO ALEGRE

A Prefeitura de Porto Alegre, desde o advento do governo José Fogaça, tem permitido uma verdadeira devastação na zona sul da capital.
Antes da chegada do "turista", um lugar cheio de verde e espaços de convivência. Após a sua "aterrissagem", alvo da mais nojenta e abjeta especulação imobiliária.
Constroem-se "condomínios" a cada centímetro quadrado, todos oferecendo o "prazer de morar na zona sul, em meio à natureza, numa das zonas mais elegantes da capital".
Só que a "natureza" resume-se a uma ou duas árvores que são deixadas de pé, em meio à devastação promovida para dar lugar às tais "malocas padrão todas iguais de alto conceito arquitetônico e valor agregado". E a tal da "elegância", as pessoas que vêm não tem nenhuma; são só um bando de pobres coitados que imaginam que ao morar numa zona dita "nobre", automaticamente, ao chegarem aqui, são "contaminados" por ela, como que por osmose, o que não lhes exige nada, a não ser dinheiro para estarem aqui, e, portanto, serem "elegantes", também.
Essa falta de bom senso, leva-me à reflexão: espaço disponível está disponível para ser arrasado e ocupado por construções, ou espaço disponível está disponível para ser espaço de convivência?
Acho que a primeira opção é a mais óbvia. Porque óbvia? Mas é óbvio! Desde que determinamos que tudo tem dono, inclusive os "espaços disponíveis", declaramos que cada um faz do que "lhe pertence" o que melhor lhe parece!
Não é óbvio?!
Que gente estúpida somos todos!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado visitante, seja bem-vindo. Os comentários aqui postados não são moderados, por isso, conto com a sua moderação.

Plugin Artigos Relacionados para WordPress, Blogger, ...