terça-feira, 27 de janeiro de 2009

Manifesto Literário II

Esta postagem trata de modificações e aditivos ao texto original do Manifesto Literário publicado por este poeta em 29 de novembro de 2008.
As considerações são as que seguem:

1) O estilo poético definido naquele Manifesto, nomeado genericamente de TERCETO, passa a chamar-se, definitivamente, de "TRINCA". Esta denominação foi adotada tendo em vista as seguintes razões: por fazer referência a uma poesia curta, constituída de três versos; pelo caráter próprio deste tipo de poesia que, assim como os textos dissertativos, estrutura-se na tríade introdução-desenvolvimento-conclusão; finalmente, por "jogar", internamente, com os elementos da realidade, embaralhando e reorganizando imagens, remetendo a um nível de expressão e interpretação mais amplo do que aquele objetivamente tratado no texto poético.

2) Fica alterado, em parte, o primeiro parágrafo do Manifesto, e são nele adicionadas as seguintes informações:

Texto atual:

"Terceto é um estilo poético que se apresenta na forma de um texto organizado em três versos. A rigor, o Terceto não se atém a regras de composição, no que diz respeito à temática ou ao emprego de figuras de linguagem, no entanto, quanto à estrutura, é corrente que o terceiro verso rime com o primeiro, ficando o segundo livre, podendo rimar com os outros, ou não. Também é imprescindível a presença de um título, tendo em vista o seu caráter eminentemente narrativo. É ele que informa ao leitor o tema, ou assunto, que será abordado pelo poeta nos versos que seguem. Aqui, o título não prejudica a liberdade do escritor, antes oferece a ele um fio condutor, uma linha mestra, que irá orientá-lo até o objetivo que pretende atingir."

Texto com nova redação:

"A Trinca é um estilo poético que se apresenta na forma de um texto organizado em três versos, encabeçados por título. A rigor, a Trinca não se atém a qualquer regra de composição, nem com relação à métrica, nem à rima; no entanto, com relação a esta última, receberá as seguintes classificações, quanto à dificuldade de composição: a) Trinca do príncipe - é aquela onde todos os versos rimam entre si; b) Trinca rica - é aquela onde o primeiro verso rima com o segundo e o terceiro é livre, ou o segundo rima com o terceiro e o primeiro é livre; c) Trinca pobre - é aquela onde o primeiro verso rima com o terceiro e o segundo é livre; d) Trinca natural - quando não há a presença da rima entre os versos. Há, ainda, uma forma especial de rima, que será doravante classificada como "Trinca imperial", que se dará quando o título rimar com o segundo verso e o primeiro verso rimar com o terceiro, como no caso da Trinca pobre.
Quanto ao título, é imprescindível sua presença, tendo em vista o caráter eminentemente narrativo da Trinca. É ele que informa ao leitor o tema, ou assunto, que será abordado pelo poeta nos versos que seguem. Aqui, o título não prejudica a liberdade do escritor, antes oferece a ele um fio condutor, uma linha mestra, que irá orientá-lo até o objetivo que pretende atingir."

Numa próxima postagem será publicado o Manifesto na íntegra, com a nova redação acima e com as outras alterações que se fazem necessárias ao texto original, a partir da definição do nome deste estilo poético.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Prezado visitante, seja bem-vindo. Os comentários aqui postados não são moderados, por isso, conto com a sua moderação.

Plugin Artigos Relacionados para WordPress, Blogger, ...